Empresas querem despedir trabalhadores que se recusem a tomar a vacina para a COVID-19

Com a vacina da COVID-19 a chegar à população muito em breve na Austrália, muitos negócios estão a declarar o seu desejo em despedir os trabalhadores que se recusem a ser vacinados. Paul Kelly, conceituado médico, disse recentemente que o país está a antecipar a distribuição da vacina para o mês de março.

Mais do que isso, os donos de negócios estão a expressar preocupação sobre a situação que vamos todos enfrentar num futuro próximo. Na verdade, eles querem que o governo crie regras que torne a vacina obrigatória para os seus trabalhadores.

Numa entrevista, Peter Strong, chefe executivo do Concelho de Pequenos Negócios e Organizações Australianas, disse:

“Se tiveres quatro empregados e um deles não for vacinado e as outras três disserem: ‘Eu não trabalho com esta pessoa’, o que é que tu fazes? É deixar os empregadores entre a espada e a parede. E é o dilema para o qual temos de nos preparar no futuro”.

Enquanto isso, o ministro da saúde Greg Hunt disse à população que o país “estava no bom caminho e à frente do tempo” no que toca ao processo de aprovação e distribuição da vacina.

“Esperamos que os australianos sejam completamente vacinados até ao final de outubro, na base de que a vacina é grátis, universal e completamente voluntária”, disse Hunt.

Em Portugal, a primeira fase de vacinação já está a decorrer.

Mulher processa o namorado por não lhe ter pedido em casamento depois de 8 anos de namoro

É por este motivo que as pessoas andam a juntar manteiga no seu café