Uma baleia morta deu à costa na praia e o que ela tinha dentro da boca é realmente preocupante…

A poluição é um dos grandes problemas actuais. Embora tenhamos evoluído bastante enquanto humanidade, ainda temos imensas falhas. Os erros de hoje serão pagos amanhã. A falta de reciclagem é uma daquelas contas gigantescas que um dia mais tarde havemos de pagar directamente.

Os residentes de Naic Cative acordaram numa quinta-feira com uma visão horrível na praia. Uma baleia azul em decomposição deu à costa. Da sua boca saia algo que chocou todo o mundo: mais do que alguém podia imaginar.

A montanha de resíduos plásticos que saia da boca da baleia em decomposição era tão grande que ninguém conseguiu ficar indiferente.

Garrafas, recipientes de gelados, cabides, caixotes de lixo e sacos de plástico eram alguns dos detritos que emergiam da boca da baleia. Isto fez com que a Greenpeace do Sudeste Asiático nas Filipinas se manifestasse.

Em comunicado à imprensa, a Greenpeace disse que mais de 30 cachalotes haviam dado à costa na Europa no primeiro trimestre de 2016, com os seus estômagos cheios de quantidades gigantescas de resíduos plásticos.

Nas Filipinas, uma baleia morta foi encontrada na Ilha de Samal em Dezembro do ano passado. O Escritório de Pescas e Recursos Aquáticos foi citado pela Philippine Star dizendo que plásticos, rede de peixe, ganchos, madeira com pregos, cordas e fios de aço foram encontrados no estômago do animal e tinham sido a causa da morte do mesmo.

A Greenpeace pediu aos líderes ambientais da ASEAN que tomassem medidas concretas contra a poluição e a degradação ambiental que está condenando a vida marinha à morte. A Associação das Nações do Sudoeste Asiático elegeu como presidente este ano um filipino.

“A contribuição da região ASEAN para a poluição plástica nos oceanos não pode ser ignorada e já está muito além de alarmante. Pedimos aos membros da ASEAN que tomem esta questão com um sentido de urgência e que exijam que os nossos líderes iniciem medidas ousadas para abordar a poluição dos plásticos através da cooperação regional, exigindo responsabilidade corporativa e educação pública maciça”, disse Vince Cinches, Filipinas.

É necessária a consciencialização para este tipo de problemas…

Comentários